A NECESSIDADE DE TOQUE E A EXPERTISE DO CONSUMIDOR EM UM CONTEXTO DE MARCA RECONHECIDA E NÃO RECONHECIDA NO COMÉRCIO ELETRÔNICO: UM ESTUDO EXPERIMENTAL

Amabili Cristina Ferreira, Rejane Alexandrina Domingues Pereira Prado, Marli Auxiliadora da Silva, Jussara Goulart da Silva

Abstract


Para identificar se a expertise do consumidor influencia a necessidade de toque (NFT) na intenção de compra de smartphones, em comércio eletrônico, quando a marca é ou não reconhecida realizou-se experimento no formato 2x2x2: 2 níveis de expertise (experts versus não experts) vs. 2 níveis de NFT (alta versus baixa) vs. 2 (marca reconhecida versus não reconhecida), onde a variável dependente foi a intenção de compra em comércio eletrônico; variáveis independentes: marca, NFT e expertise. Os dados coletados junto a um público jovem foram analisados mediante análise fatorial exploratória, análise de variância e o teste T de Student. Rejeitou-se a hipótese de que consumidores experts possuem menos NFT quando da intenção de compra de smartphones disponíveis em comércio eletrônico que consumidores não experts. Confirmou-se parcialmente a influência da expertise do consumidor na NFT na intenção de compra de smartphones, em comércio eletrônico, quando a marca é reconhecida ou não reconhecida. O estudo apresenta uma evolução teórica sobre a NFT por ter testado, conjuntamente, a interferência ou não da expertise e marca no fenômeno NFT. As rejeições podem ser explicadas pela tendência de consumidores online se concentrarem menos na informação da marca e mais nos atributos dos produtos que necessitam.


Keywords


Necessidade de toque (NFT); Expertise do consumidor; Marca reconhecida e não reconhecida

References


Agardi, I., & Dornyei, K. (2011). The influence of internet use and the need for haptic exploration on online purchase activity. Alexandru Ioan Cuza University of Iasi, 1(2), 1-7.

Alba, J. W.; Hutchinson, J. W. (1987, março). Dimensions of consumer expertise. Journal of Consumer Research, 13(4), 411-454. Recuperado em 02 dezembro 2016, de http://www.jstor.org/stable/2489367?seq=1#page_scan_tab_contents.

Almeida, N. (2013). O impacto da NFT na experiência da marca. Dissertação de mestrado, Instituto Português de Administração e Marketing, IPAM, Aveiro, Portugal. Recuperado em 18 dezembro, 2016, de http://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/5853/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20de%20Mestrado%20Nadine%20Almeida.protected.pdf.

Bamarouf, Y., & Smith, S. (2009). Haptic interaction as a purchase motivator in online shopping. Technology Enhanced Learning Research Group: 1-47. Durham University, England.

Bruner, G. C. (2009). Marketing scales handbook: a compilation of multi-item measures for consumer behavior & advertising research. (5a ed.). Carbondale: Copyright.

Chaffey, D., Ellis-Chadwick, F., Johnston, K., & Mayer, R. (2006). Internet marketing, strategy, implementation and practice. (3rd ed.). London: Prentice-Hall Financial Times.

Clarke, I., & Flaherty, T. B. (2005). Advances in electronic marketing. Hershey: IGI Publishing.

Fiore, A. M. (1993). Multisensory integration of visual, tactile, and olfactory aesthetic cues of appearance. Clothing and Textiles Research Journal, 11(2), 45-52.

Gatignon, H., & Robertson, T. S. (1985, março). A propositional inventory for new diffusion research. Journal of Consumer Research, 11(4), 849-867.

Grewal, D., Iyer, G. R., & Levy, M. (2004). Internet retailing: enablers, limiters and market consequences. Journal of Business Research, 57(7), 703-713.

Hernandez, J. M. C., Han, X., & Kardes, F. R. (2014). Effects of the perceived diagnosticity of presented attribute and brand name information on sensitivity to missing information. Journal of Business Research, 67(5), 874-881.

IBOPE: (2013). Penetração de smartphones duplica em um ano. Recuperado em 13 julho, 2016, de http://www.ibope.com.br/pt-br/noticias/Paginas/Penetracao-de-smartphone-duplica-em-um-ano.aspx.

Klatzky, R. L., Lederman, S., & Reed, C. (1987). There’s more to touch than meets the eye: the salience of object attributes for haptics with and without vision. Journal of Experimental Psychology: General, 116(4), 356-369.

Klatzky, R. L., & Peck, J. (2012, abril/junho). Please touch: object properties that invite touch. IEEE Transactions on Haptics, 5(2), 139-147.

Kotler, P., Kartajaya, H., & Setiawan, I. (2012). Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. Rio de Janeiro: Elsevier.

Krishna, A. (2010). Sensory marketing: research on the sensuality of products. New York: Routledge.

Levin, A. M., Levin, I. P., & Heath, C. E. (2003). Product category dependent consumer preferences for online and offline shopping features and their influence on multi-channel retail alliances. Journal of Electronic Commerce Research, 4(3), 85-93.

Levin, A. M., Levin, I. P., & Weller, J. A. (2005). A multi-attribute analysis of preferences for online and offline shopping: differences across products, consumers, and shopping stages. Methods, 6(4), 281-290.

Liao, Z., & Cheung, M. T. (2001). Internet based e-shopping and consumer attitudes: an empirical study. Information & Management, 38(5), 299-301.

Lopes, E. L., Silva, D., & Hernandez, J. M. C. (2013) O efeito da marca na negligência da omissão: uma pesquisa experimental. Revista de Administração Contemporânea, 17(2), 132-153.

Macieira, M., Carvalho, F., & Lima, V. (2011, janeiro). Fatores demográficos na percepção do risco de compra pela internet: o caso de um site brasileiro de venda de ingressos. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, 10(1-2), 92-101.

Marlow, N., & Jansson-Boyd, C. V. (2011, março). To touch or not to touch; that is the question. should consumers always be encouraged to touch products, and does it always alter product perception? Psychology & Marketing, 28(3), 256-266.

Monsuwé, T. P. Y., Dellaert, B. G. C., & Ruyter, K. D. (2004). What drives consumers to shop online? A literature review. International Journal of Service Industry Management, 15(1), 102-121.

Morgado, M. G. (2003). Comportamento do consumidor online: perfil, uso da Internet e atitudes. Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação da FGV-EAESP, São Paulo, Brasil.

Pádua Júnior, F. P., & Prado, P. H. M. (2006). A adoção de inovações em produtos de alta tecnologia por jovens: o caso do telefone celular. RECADM, 5(1), 1-18.

Peck, J., & Childers, T. L. (2003, dezembro). Individual differences in haptic information processing: the “need for touch” scale. Journal of Consumer Research, 30(3), 430-442.

Peck, J. (2010). Does touch matter? Insights from haptic research in marketing. In: A. Krishna (Org.). Sensory marketing: research on the sensuality of products (pp. 17-31). New York: Routledge.

Peck, J., & Wiggins, J. (2006). It just feels good: customers affective response to touch and its influence on persuasion. Journal of Marketing, 70(4), 56-69.

Peterson, R. A., & Merino, M. C. (2003). Consumer information search behavior and the internet. Psychology and Marketing, 20(2), 99-121.

Prado, R. A. D. P. (2015). O efeito da pressão do tempo na negligência da omissão de informações: um estudo experimental. Tese de doutorado em Administração, Programa de Pós-Graduação em Administração da UNINOVE, São Paulo, Brasil.

Rodrigues, T., & Silva, S. C. E. (2013). O “need for touch" no retalho online. Portuguese Journal of Marketing, 30, 70-90.

Rosen, A. (2000). The e-commerce question and answer book. Nova York: ANACOM.

Shang, R., Chen, Y., & Shen, L. (2005). Extrinsic versus intrinsic motivations for consumers to shop on-line. Information & Management, 42(3), 401-413.

Souza, J. M., Prado, R. A. D. P., & Silva, M. A. (2016, maio). Análise do impacto do envolvimento na avaliação de uma marca reconhecida versus não reconhecida: um estudo experimental sobre smartphones. Anais do Encontro de Gestão e Negócios, Uberlândia, MG, Brasil, 4.

Srinivasan, M. A., & Basdogan, C. (1997). Haptics in virtual environments: taxonomy, research status, and challenges. Computers & Graphics, 21(4), 393-404.

Underhill, P. (2008). A ciência das compras: tudo o que sempre quis saber sobre o comportamento dos consumidores. Lisboa: Gestão Plus.

Vieira, V. A., Torres, C. V., & Gava, R. (2007). Haptic informations processing: assessing the need for touch scale. Anais do Encontro Anual Da Associação Brasileira Dos Programas De Pós-Graduação em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 31. Recuperado em 18 dezembro, 2016, de http://www.anpad.org.br/admin/pdf/MKT-A311.pdf.

Vieira, V. A. (2011). Escalas em marketing: métricas de resposta do consumidor e de desempenho empresarial. São Paulo: Atlas.

Vieira, V. A. (2013). The association between need for touch and desire for unique products and consumer (inter) dependent problem-solving. Revista de Administração, 48(3), 481-499.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/businessreview/2019.v4i2.102

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

Intern. Journal of Profess. Bus. Review (e-ISSN: 2525-3654)

Faculty of Economics and Business, University A Coruña, Rúa de Maestranza 9, 15001 A Coruña, Spain


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.