HINTERLAND OF PIAUÍ IN DYNAMIZATION: DILEMMS AND CHALLENGES FOR URBAN MANAGEMENT IN REGIONAL COMMAND CITY OF PIAUÍ

Juscelino Gomes Lima

Abstract


Objective of the study: this article aims to point out and discuss the dilemmas and challenges of urban management that Picos / PI has been facing, considering its current Plano Diretor.

Methodology/approach: Methodologically, the construction of the research is guided in two moments: the first, based on theory, among different thinkers, in urban and regional literature. The second, based on a qualitative whose reference is the selection, interpretation and technical analysis of legal documents from the municipality of Picos/PI: the current Plano Diretor and the Lei municipal do Uso do Solo.

Originality/Relevance: The urban and regional dynamism that has occurred in many cities located outside the metropolitan areas of Brazil, since the 1980s, has motivated the constitution of a rich academic research stuff, whose direction has been given on the urban management processes and analyzes on the different instruments of urban planning. Many reflections have questioned about this cities future, as they live based on the existence and execution of their Plano Diretor. In this context, Picos/PI appears, a Regional Command City, qualified, for the strong spatial interactions, as well as, for the outstanding capacity, of a Functional Urban Area (FUA), in the hinterlands of Piauí, state of Brazil.

Main results: The main dilemma lies in the observation that the analyzed laws have a series of non-conformities with the organicity of the city. In view of this, the great challenge is essentially political: the urgent updating of the Plano Diretor, as well as its effective application, with a view to solving a series of demands, of spatial organization, in the intra-urban context.

Theoretical/methodological contributions: Analysis and interpretation of urban roles in the region and spatial impact from the conception of Regional Command Cities.


Keywords


Picos/PI; Plano Diretor; Urban Transformations

References


BERNARDY, R. J. (2013). O planejamento urbano de pequenos municípios com base no Plano Diretor. Revista Desenvolvimento em Questão, 11: 4-34.

BERNARDY, R. J. & SILVEIRA, R. L. L. da. (2017). A cidade média monocêntrica e policêntrica: análise da sustentabilidade do uso do solo urbano. Pesquisa de Estágio pós-doutoral, Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional – PPGDR, Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul.

BESERRA, M. R. (2016). Segregação socioespacial e planejamento urbano em Picos (PI): entre as demandas da população e as decisões do Poder Público Municipal. (2016), Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas, Universidade Federal do Piauí, Teresina, Piauí.

CORRÊA, R. L. (2006). Estudos sobre a rede urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

_____. (2010). Trajetórias geográficas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

DAVOUDI, S. (2003). European Briefing: Polycentricity in European Spatial Planning: from na Analytical Tool to a Normative Agenda - European Planning Studies. Abingdon: Carfax Publishing, 11: 979-999.

ESTATUTO DA CIDADE. (2001). Lei 10.267, de 28 de agosto de 2001: Altera dispositivos das Leis nos 4.947, de 6 de abril de 1966 e dá outras providências, Brasília.

FERRÃO, J. (2012). Regiões Funcionais, Relações urbano-rurais e Política de Coesão Pós-2013. Lisboa: ICS Relatório Final.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2008). Regiões de Influência das Cidades 2007. Rio de Janeiro.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. São Paulo: Centauro. 2001.

LIMA, J. G.; SILVA, C. E. da; LUZ, F. J. L. A. (2016). Dinâmicas Urbanas em Espaços Sertanejos Piauienses (DUESPI): riscos e vulnerabilidades socioambientais em Picos/PI. Artigo apresentado no 6° Congresso Nacional de Educação Ambiental 2016, João Pessoa, Brasil.

LIMA, J. G.; SILVEIRA, R. L. L da. (2018). Cidades Médias Brasileiras a Partir de um Novo Olhar Denominal e Conceitual: Cidades de Comando Regional. Revista Desenvolvimento em Questão, 42: 8-41.

OLIVEIRA, H. C. M. de; SOARES, B. R. (2014). Cidade média: apontamentos metodológicos e tipologia. Revista Caminhos de Geografia, Uberlândia, 15: 119-133.

O’NEILL, M. M. V. C. As bases territoriais institucionais: novas configurações no espaço nordestino. Tese de Doutorado, Programa de Pós Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PICOS. (2008). Estudo Prévio de Impacto de Vizinhança de Picos. Picos.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PICOS. (2008). Leis do Plano Diretor: o Plano Diretor Participativo Municipal – parte IV. Picos.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PICOS. (2008). Lei Municipal do Uso do Solo de Picos. Picos.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PICOS. (2006). Propostas Pactuadas: Programas e Projetos – realidade municipal – parte integrante do Plano Diretor. Picos.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PICOS. (2006). Relatório Consolidado: Leitura do Município – realidade municipal – parte integrante do Plano Diretor. Picos.

REIS, J. Ensaios de Economia Impura. Coimbra – Portugal: Almedina, 2007.

SANTOS, M. (1994). Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: Hucitec.

_____. (1996). A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec.

_____. (2002). O país distorcido: o Brasil, a globalização e a cidadania. São Paulo: Publifolha.

_____. (2008). O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana. São Paulo: Edusp,

SAULE JÚNIOR, N.; ROLNIK, R. (2001). Estatuto da Cidade: novos horizontes para a reforma urbana. São Paulo: Polis.

SCHÄEFFER, N. O. (1993). Do armazém da esquina ao shopping Center: a transformação do consumo de Porto Alegre. PANIZZI, W. M. (Ed). Estudos urbanos: Porto Alegre e seu planejamento. Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

SILVEIRA, R. L. L.; BRANDT, G. B. FACCIN, C. R. , SILVEIRA, L. L. , KUMMER, D. C. (2017) . Policentrismo, Áreas Urbanas Funcionais (FUAs) e Dinâmica Territorial: Um estudo exploratório desde a região do Vale do Rio Pardo - RS - Brasil. Revista Redes, Santa Cruz do Sul, 22: 184-217.

SOUZA, M. L. de. (2004). Mudar a cidade: uma introdução crítica ao planejamento e à gestão urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

SPOSITO, M. E, B.; GOES, E. M.; SPOSITO, E. S. (2015). Reestructuración y cambio en dos centros comercial es tradicionales. Visiones comparadas: Presidente Prudente (Brasil) y Lleida (España). BELLET, C. (Ed). Urbanización, producción y consumo en ciudades medias/intermedias. Lleida: Edicions de la Universitat de Lleida.

VILLAÇA, F. (2001). Espaço intraurbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/businessreview/2020.v5i1.148

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Refbacks



Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

Intern. Journal of Profess. Bus. Review (e-ISSN: 2525-3654)

Faculty of Economics and Business, University A Coruña, Rúa de Maestranza 9, 15001 A Coruña, Spain


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.