Coaching e Mentoring como Práticas de Compartilhamento de Conhecimentos: Estudo de Casos em Empresas Públicas do Estado de São Paulo - Brasil

Bruna Angela Santos, Marcio Shoiti Kuniyoshi, Marcos Antonio Gaspar, Celia Hatsumi Aihara

Abstract


Objetivo: analisar as principais razões pelas quais as empresas públicas utilizam coaching e mentoring como práticas de compartilhamento de conhecimento

Método: pesquisa exploratória qualitativa, que teve como objeto de análise as empresas públicas paulistas. Foi realizado estudo de casos, com entrevista e análise documental em duas empresas públicas paulistas: uma de saneamento de água e esgoto (prática de coaching) e outra de metrologia (prática de mentoring).

Originalidade/Relevância: A pesquisa permitiu constatar que o propósito da adoção da prática de coaching ou mentoring não teve como fator motivador o decreto nº 53.963/2009 de Gestão do Conhecimento e Inovação do Governo do Estado de São Paulo, conforme foi alegado pelas entrevistadas. Entretanto, a coincidência das datas de implantação dos projetos poderia ser, de alguma forma, um fator motivador para o cumprimento das diretrizes constantes no referido decreto.

Resultados: Constatou-se que as práticas de coaching e mentoring foram empregadas para utilizar o conhecimento dos colaboradores visando a melhoria da qualidade do atendimento à sociedade. A prática de coaching está inserida nos programas promovidos pela empresa, visando desenvolver o capital humano para o plano de sucessão e novas lideranças. Quanto à prática de mentoring, as empresas buscam compartilhar o conhecimento tácito entre seus recursos humanos para melhoria dos serviços prestados.

Contribuições teóricas/metodológicas: A análise dos principais resultados esperados com a implantação de práticas de coaching e mentoring nas empresas públicas paulistas, permitiu constatar a viabilidade de aplicação destas práticas de gestão do conhecimento para institucionalização do conhecimento organizacional nas empresas públicas pesquisadas.

 


Keywords


Gestão do conhecimento; Compartilhamento de conhecimento; Coaching; Mentoring; Empresa pública

References


Agune, R., Gregório, A., Neves, A., Dias, I. D. M., Carlos, J. A. &

Bollinger, S. (2014). Dá pra fazer. Gestão do conhecimento e inovação em governo. São Paulo: Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional.

Angeloni, M. T. (2002). Organizações do conhecimento: infraestrutura, pessoas e tecnologias. São Paulo: Saraiva.

Angeloni, M. T. (2008). Gestão do conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Araújo, A. (1999). Coaching: um parceiro para o seu sucesso. São Paulo: Gente.

Batista, F. F. (2012). Modelo de gestão do conhecimento para a administração pública brasileira: como implementar a gestão do conhecimento para produzir resultados em benefício do cidadão. Brasília: Ipea.

Batista, F. F., Quandt, C. O., Pacheco, F. F. & Terra, J. C. C. (2005). Gestão do conhecimento na administração pública. Brasília: Ipea.

Bernhoeft, R. E. A. D. (2001). Mentoring: abrindo horizontes, superando limites, construindo caminhos. São Paulo: Gente.

Blome, C., Schoenherr, T. & Eckstein, D. (2014). The impact of knowledge transfer and complexity on supply chain flexibility: A knowledge-based view. International Journal of Production Economics, 147, 307-316.

Brito, R. P. & Brito, L. A. L. (2012). Vantagem competitiva, criação de valor e seus efeitos sobre o desempenho. RAE - Rev. Adm. Empres, 52(1), 70-84.

Carlos, J. A. (2014). Inovação organizacional no setor público. In Agune, R., Gregório, A., Neves, A., Dias, I. D. M., Carlos, J. A. & Bollinger, S. (Orgs.). Dá pra fazer. Gestão do conhecimento e inovação em governo. São Paulo: Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional.

Carvalho, I. M. (2008). Estratégias para a implementação de gestão do conhecimento. In Angeloni, M. T. Gestão do conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Carvalho, F. C. A. D. (2012). Gestão do conhecimento. São Paulo: Pearson.

Choo, C. W. (2012). Aprendizado com inteligência organizacional. In Tarapanoff, K. (Org.). Aprendizagem organizacional. Curitiba: InterSaberes.

Coelho, E. M. (2004). Gestão do conhecimento como sistema de gestão para o setor público. Revista do Serviço Público - RSP, 55(1-2), 89-115.

Davenport, T. H. & Prusak, L. (2003). Conhecimento empresarial: como as empresas gerenciam seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus.

De Angelis, C. T. (2014). Gestão do conhecimento no setor público: um estudo de caso por meio do método OKA. Revista do Serviço Público - RSP, 62(2), 137-166.

Eisenhardt, K. M. & Santos, F. M. (2002). Knowledge-based view: A new theory of strategy. Handbook of Strategy and Management, 1, 139-164.

Ellinger, A. D. & Bostrom, R. P. (1999). Managerial coaching behaviors in learning organizations. Journal of Management Development, 18(9), 752-771.

Feldman, D. C. & Moore, D. (2001). Career coaching: What HR professionals and managers need to know. Human Resource Planning, 24(2), 26-35.

Ferreira, M. A. A. (2008). Coaching: um estudo exploratório sobre a percepção dos envolvidos. Dissertação de Mestrado, Administração, Universidade de São Paulo, Brasil.

Grant, R. M. (1996). Toward a knowledge‐based theory of the firm. Strategic Management Journal, 17(S2), 109-122.

Higgins, M. C. & Kram, K. E. (2001). Reconceptualizing mentoring at work: A developmental network perspective. Academy of Management Review, 26(2), 264-288.

ICF – International Coach Federation. (2015). O que é coaching? São Paulo: ICFBrasil.

Jo, B. K. B. (2005). Executive coaching: A conceptual framework from an integrative review of practice and research. Human Resource Development Review, 4(4), 462-488.

Klein, D. (1998). A gestão estratégica do capital intelectual: recursos para a economia baseada em conhecimento. São Paulo: Qualitymark.

Kuniyoshi, M. S., Santos, S. A. dos., Gaspar, M. A. & Donaire, D. (2013). Institucionalização do knowledge based view: um estudo das práticas gerenciais de gestão do conhecimento e suas contribuições para a competitividade das empresas do setor elétrico-eletrônico. Revista de Administração da Unimep, 11(2), 1-30.

Kuniyoshi, M. S. & Santos, S. A. dos. (2007). As melhores práticas de gestão do conhecimento: um estudo de caso de empresas que fazem uso intensivo do conhecimento. In Santos, A. S.; Leite, N. P. & Ferraresi, A. A. (Orgs.). Gestão do conhecimento: institucionalização e práticas nas empresas e instituições (pesquisas e estudos). Maringá: Unicorpore.

Lotz, E. & Gramms, L. (2014). Coaching e mentoring. Curitiba: InterSaberes.

Motta, P. R. D. M. (2013). O estado da arte da gestão pública. Revista de Administração de Empresas, 53(1), 82-90.

Netto, J. P. S. & Santos, S. A. dos. (2007). A institucionalização da gestão do conhecimento. In Santos, A. S.; Leite, N. P. & Ferraresi, A. A. (Orgs.). Gestão do conhecimento: institucionalização e práticas nas empresas e instituições (pesquisas e estudos). Maringá: Unicorpore.

Neves, A. (2014). Gestão de conhecimento e redes e ferramentas sociais. In Agune, R., Gregório, A., Neves, A., Dias, I. D. M., Carlos, J. A. & Bollinger, S. (Orgs.) Dá pra fazer. Gestão do conhecimento e inovação em governo. São Paulo: Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional.

Nonaka, I. & Takeuchi, H. (1997). Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus.

Oliveira Jr, M. D. M. (2001). Competências essenciais e conhecimento na empresa. In Fleury, M. T. L. & Oliveira JR, M. M. (Orgs.). Gestão estratégica do conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências. São Paulo: Atlas.

Oliveira Jr, M. D. M., Fleury, M. T. & Child, J. (2001). Compartilhando conhecimento em negócios internacionais: um estudo de caso na indústria de propaganda. In Fleury, M. T. L. & Oliveira Jr, M. M. (Orgs.). Gestão estratégica do conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências. São Paulo: Atlas.

Oliveira, R. R. & ALVES FILHO, B. F. (2008). Contexto de compartilhamento do conhecimento – O caso do Sepro-Recife. In Angeloni, M. T. (Org.). Gestão do conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Peterson, D. B. (2002). Management development: Coaching and mentoring programs. In Kraiger, K. Creating, implementing, and managing effective training and development. San Francisco: Jossey-Bass.

Probst, G., Raub, S. & Romhardt, K. (2002). Gestão do conhecimento: os elementos construtivos do sucesso. Porto Alegre: Bookman.

São Paulo (Estado). Decreto nº 53.963, de 21 de janeiro de 2009. Diário Oficial Poder Executivo - Seção I - São Paulo, 119 (14), quinta-feira, 22 de janeiro de 2009.

Stewart, T. A. (2002). A riqueza do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus.

Stil, A. V., Kern, V. M. & Pacheco; R. C. dos S. (2008). Gestão do conhecimento no setor público: o papel da engenharia do conhecimento e da arquitetura e-Gov. In Angeloni, M. T. (Org.). Gestão do conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Whitmore, J. (2005). Coaching: el método para mejorar el rendimiento de las personas. Buenos Aires: Piados.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/businessreview/2019.v4i2.158

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

Intern. Journal of Profess. Bus. Review (e-ISSN: 2525-3654)

Faculty of Economics and Business, University A Coruña, Rúa de Maestranza 9, 15001 A Coruña, Spain


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.