CIDADES INTELIGENTES E A PARTICIPAÇÃO CIDADÃ

Renata Maria Aponte Rodrigues de Carvalho

Abstract


O objetivo deste artigo é analisar como o surgimento das cidades inteligentes impactou a participação política da sociedade. O avanço da tecnologia estabeleceu nova relação entre governantes e governados ao abrir novo canal de comunicação entre estes dois atores sociais, possibilitando maior conexão entre eles. A grande quantidade de informação disponível para o cidadão acarretou maior responsabilidade sobre seus atos e impôs a necessidade de um comportamento consciente, direcionado ao bem comum, tornando-o um cidadão inteligente. Outro resultado da participação política direta é a alteração da dinâmica das cidades e do planejamento urbano e a perspectiva é que esta relação cresça nos próximos anos. A metodologia adotada neste artigo foi o método dedutivo baseado em análise de trabalhos acadêmicos.

Keywords


Cidades Inteligentes; Urbanismo; Tecnologia; Participação cidadã; Transformações sociais.

References


Bauman, Z. (2008). Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Carvalho, J. S. Filho (2013). Comentários ao Estatuto da Cidade. 5ª ed. rev. ampl.e atual. São Paulo: Atlas.

Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Brasília. Recuperado em 28 junho 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm

Cunha, M. A., Przeybilovicz, E., Macaya, J. F. M. & Burgos, F. (2016). Smart Cities: transformação digital de cidades. Recuperado em 27 junho, 2019, de http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/18386

EMI Nº 00086 - MJ/MP/MCT/MC. Exposição de Motivos da Subchefia de Assuntos Parlamentares. Brasília, DF. Recuperado em 28 junho, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Projetos/ExpMotiv/EMI/2011/86-MJ%20MP%20MCT%20MC.htm

Jardim, L. (2018). Webinar Colab Cidades Colaborativas e o Desenvolvimento Sustentável. São Paulo. Recuperado em 26 junho, 2019, de https://www.youtube.com/watch?v=Re5FK2anh_s&index=26&t=1468s&list=PL6BPfpnz1NZKcT174uInrrWf3kaS00rad

Kresin, F. (2013). A Manifesto for Smart Citizens. Recuperado em 28 junho, 2019, de https://www.researchgate.net/publication/320172076_A_Manifesto_for_Smart_Citizens

Lei 10.257, de 10 de julho de 2001 (2001). Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Brasília, DF. Recuperado em 28 junho, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10257.htm

Lei 12.965, de 23 de abril de 2014 (2014). Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. Brasília, DF. Recuperado em 28 junho, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l12965.htm

Lemos, A. Cidades inteligentes (2013) Recuperado em 24 junho, 2019, de http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/gvexecutivo/article/view/20720/19454

Marcondes, V. (2011) Internet, democracia e participação popular: discutindo experiências participativas. Tese de doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Saule, N. Jr. (1997). Novas perspectivas do direito urbanístico brasileiro. Ordenamento constitucional da política urbana. Aplicação e eficácia do plano diretor. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris Editor.

Micklethwait, J. & Wooldridge, A. (2015). A quarta revolução: a corrida global para reinventar o Estado. 1ª ed. São Paulo: Portfólio-Penguin.

Prefeitura Municipal de Teresina. Van Participativa da Prefeitura ouve população na Praça Rio Branco – a iniciativa faz parte da mobilização do Teresina Participativa. Recuperado em 26 junho, 2019, de https://semplan.teresina.pi.gov.br/2017/05/16/van-da-participativa-prefeitura-ouve-populacao-na-praca-rio-branco/

Ribeiro, H. (2007). Participação Política a Partir De Iniciativas Online: possibilidades, limites e desafios para a democracia. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Souza, L. (2007). Cidade, Tecnologia e Deliberação Civil: a Arquitetura da Informação Política e o Design do Estado Contemporâneo. In: Cidades contemporâneas e políticas de informação e comunicações, pp. 139 – 170, Salvador: Edufba.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/businessreview/2020.v5i1.161

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

Intern. Journal of Profess. Bus. Review (e-ISSN: 2525-3654)

Faculty of Economics and Business, University A Coruña, Rúa de Maestranza 9, 15001 A Coruña, Spain


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.