Qualidade E Segurança Na Gestão Em Saúde: Prevenção E Controle Da Infecção Urinária Relacionada Ao Uso De Dispositivos

Sérgio Antônio Pulzi Júnior, Renato Ribeiro Nogueira Ferraz, Milton Soibelmann Lapchick

Abstract


As infecções relacionadas à assistência à saúde são de grande importância na gestão da qualidade e da segurança, além de representarem considerável ônus econômico para o sistema de saúde. Objetivo: Instituir um plano de ação para prevenção e controle da infecção do trato urinário relacionada ao cateter vesical de demora (ITU-CVD) em uma unidade de terapia intensiva de adultos (UTI-A). Método: Foi executado um plano de ação, com início em janeiro de 2012, que compreendeu intervenções clínicas, em âmbito multiprofissional, organizadas e coordenadas, relacionadas à gestão de pessoas e processos, para reduzir a ITU-CVD e a taxa de utilização do cateter vesical de demora (Tx-CVD). Os referenciais internos foram as medianas anuais dos dois anos imediatamente anteriores à intervenção (2010 e 2011). Os referenciais externos foram os percentis cinquenta apresentados anualmente pela Coordenação de Vigilância em Saúde do Município de São Paulo (COVISA). Resultados: Para cada indicador, os resultados foram comparados temporalmente pelo teste t pareado (p<0,05). Os resultados, expressos pela mediana anual da densidade de incidência de ITU-CVD, foram os seguintes: 2010 = 15,3; 2011 = 13,6; 2012 = 6,6. (p < 0,05) Quanto a Tx-CVD, a mediana anual encontrada foi de: 2010 = 81,3; 2011 = 85,5; 2012 = 61,6. (p < 0,05). Conclusão: Os resultados obtidos não foram, para o tempo de intervenção estudado, suficientes para atingir o referencial externo. As intervenções propostas podem trazer impacto positivo quanto à redução da Tx-CVD e da densidade de incidência de ITU-CVD em UTI-A.


Keywords


Gestão em Saúde; Gestão da Qualidade; Unidade de Terapia Intensiva; infecções urinárias

References


Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. (2005). Critérios Diagnósticos - NNIS. Gerência de Investigação e Prevenção de Infecções e Eventos Adversos, p. 1–12. Brasília.

Barsanti, M. C., & Woeltje, K. F. (2009). Infection prevention in the intensive care unit. Infectious disease clinics of north America, 23(3), 703.

Coordenação de Vigilância em Saúde - COVISA. (2009). Instrumento de Coleta de Dados Para Notificação de Infecção Hospitalar. Núcleo Municipal de Controle de Infecção Hospitalar. São Paulo.

Donabedian, A. (1988). The quality of care: how can it be assessed? Jama, 260(12), 1743-1748.

da Silveira Fernandes, H., Júnior, S. A. P., & Filho, R. C. (2010). Qualidade em terapia intensiva. Rev Bras Clin Med, 8, 37–45.

Fakih, M. G., Watson, S. R., Greene, M. T., Kennedy, E. H., Olmsted, R. N., Krein, S. L., & Saint, S. (2012). Reducing inappropriate urinary catheter use: a statewide effort. Archives of internal medicine, 172(3), 255.

Hewson-Conroy, K. M., Elliott, D., & Burrell, A. R. (2010). Quality and safety in intensive care—A means to an end is critical. Australian Critical Care, 23(3), 109–129.

Hooton, T. M., Bradley, S. F., Cardenas, D. D., Colgan, R., Geerlings, S. E., Rice, J. C., … Tenke, P. (2010). Diagnosis, prevention, and treatment of catheter-associated urinary tract infection in adults: 2009 International Clinical Practice Guidelines from the Infectious Diseases Society of America. Clinical Infectious Diseases, 50(5), 625–663.

Howell, Mi. D. (2012). Economic and Ethical Issues Surrounding How Intensivists Use Their Time. Seminars in Respiratory and Critical Care Medicine, 33(4), 401–412.

Jain, M., Miller, L., Belt, D., King, D., & Berwick, D. M. (2006). Decline in ICU adverse events, nosocomial infections and cost through a quality improvement initiative focusing on teamwork and culture change. Quality & Safety in Health Care, 15(4), 235–239. https://doi.org/10.1136/qshc.2005.016576

Maki, D. G., & Tambyah, P. A. (2001). Engineering out the risk for infection with urinary catheters. Emerging infectious diseases, 7(2), 342.

Meddings, J., Rogers, M. A., Macy, M., & Saint, S. (2010). Systematic review and meta-analysis: reminder systems to reduce catheter-associated urinary tract infections and urinary catheter use in hospitalized patients. Clinical Infectious Diseases, 51(5), 550–560.

Saint, S., Meddings, J. A., Calfee, D., Kowalski, C. P., & Krein, S. L. (2009). Catheter-associated urinary tract infection and the Medicare rule changes. Annals of internal medicine, 150(12), 877–884.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/businessreview/2017.v2i2.32

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

Intern. Journal of Profess. Bus. Review (e-ISSN: 2525-3654)

Faculty of Economics and Business, University A Coruña, Rúa de Maestranza 9, 15001 A Coruña, Spain


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.